Loading...

sábado, 12 de outubro de 2013

TERRA ARDENDO ! / LAND BURNING


Seca causa retração de 28,6% no rebanho da Paraíba

 A maior queda do efetivo de bovinos foi registrada no Nordeste
 
 
 A Paraíba é o principal estado nordestino que teve o seu rebanho prejudicado por causa da seca. Segundo dados do IBGE, a maior queda do efetivo de bovinos foi registrada no Nordeste (-4,5%), com destaque para as retrações de 28,6%, 24,2% e 18,1%, apuradas, respectivamente, na Paraíba, em Pernambuco e no Rio Grande do Norte.
Por regiões, a Norte foi a única a apresentar aumento do rebanho bovino (1,3%), puxado pelos desempenhos do Pará, com expansão de 1,9%, Acre (3,3%) e Tocantins (0,7%).

Os maiores efetivos de bovinos foram encontrados, em 2012, nos estados de Mato Grosso (13,6%), Minas Gerais (11,3%), Goiás (10,4%), Mato Grosso do Sul (10,2%) e do Pará (8,8%). Em conjunto, essas participações representaram 54,4% do efetivo nacional, no ano passado. Em termos de municípios, a liderança foi exercida por São Félix do Xingu, no Pará; Corumbá e Ribas do Rio Pardo, ambos no Mato Grosso do Sul.
O aumento do preço de insumos, como milho e soja, que afetou a produção de ração animal, e a forte seca que assolou o país, em especial as regiões Norte e Nordeste, prejudicaram o desenvolvimento da pecuária nacional no ano passado.

Houve queda em praticamente todos os portes de rebanhos brasileiros. Os asininos (asnos) e os muares (burros) apresentaram as maiores reduções (7,4% e 3,8%, respectivamente) entre os de grande porte.
A menor queda nesse segmento ocorreu entre os bovinos de corte e de leite (-0,7%), que são "o grande personagem da pecuária nacional", conforme destacou o engenheiro agrônomo Otávio Oliveira, gerente de Pecuária do IBGE e responsável pela pesquisa PPM (Produção da Pecuária Municipal), divulgada nesta quinta-feira, 10.

da Redação (com informações da Folha)
WSCOM Online

Sem comentários:

Enviar um comentário